Quem disse que não é preciso avaliar processos na comunicação corporativa?

Otimização de tempo, aumento de produtividade, melhoria do nível de serviço e redução de custos. Todo profissional que trabalha em grandes empresas certamente já ouviu esses termos no dia a dia. Diversas são as possibilidades para se chegar a tais fins e uma delas é ter processos bem definidos e estruturados. Costumo dizer que é preciso trabalhar “justinho”, sem brechas ou desperdícios e sem “dar ponto sem nó”. Na comunicação corporativa não é diferente, afinal, é a relação entre os processos que constrói, de fato, a rotina.

Organização e padronização são, por exemplo, fundamentais em tempos de excesso de demandas, devido à intensa rotina das empresas e à constante adaptação exigida, hoje, pelo mercado. Estabelecer padrões é extremamente importante para otimizar tempo em atividades que não precisam de dedicação personalizada, como a fase inicial de um pedido de campanha de endomarketing. O briefing inicial pode muito bem ser feito por meio de formulário, até para que o jornalista de empresa possa ter insumos para questionar melhor a área cliente sobre pontos delicados, necessidades específicas e objetivos.

Aumentar a produtividade da equipe é algo ainda mais necessário quando a equipe é enxuta, formada por poucos profissionais – realidade bastante comum nas empresas quando se fala em comunicação corporativa. Produzir conteúdo de qualidade, alinhado às estratégias da organização, não é algo simples. Quando o processo de apuração e de produção são bem definidos, é possível preparar reportagens para diversos canais, adaptando o conteúdo e distribuindo as informações de acordo com as características de cada formato.

Todo profissional de pequenas, médias ou grandes empresas sabe que o mercado está cada vez mais competitivo e um dos fatores que fazem a diferença é ter uma boa política de redução de custos. O conceito de eficiência em custos está cada vez mais disseminado entre gestores e, agindo de forma eficiente, em qualquer que seja a tarefa, cada colaborador dá sua contribuição para a empresa. Aumento de qualidade, com entregas mais rápidas e que solucionem problemas ou atendam a necessidades prioritárias são exemplos de práticas que levam à eficiência. Já parou para pensar nisso?

Procure avaliar os processos da sua área e identificar os gargalos existentes. Repense o modelo de trabalho e revise a distribuição das atividades e até mesmo do escopo de trabalho de cada colega. De repente o atendimento à imprensa, por exemplo, pode funcionar melhor se for descentralizado – ou se estiver concentrado em poucos profissionais, por que não? Mantenha o foco sempre no cliente, nos produtos e serviços que serão entregues: a dinâmica do trabalho precisa ser elaborada considerando toda a cadeia, afinal, a qualidade final é reflexo de todo o processo.

Gabriel Rocha

14 comentários sobre “Quem disse que não é preciso avaliar processos na comunicação corporativa?

Gostou do texto? Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s